RIO + SEGURO

Dúvidas

Perguntas frequentes

Por que o RIO+SEGURO começou por Copacabana?

O RIO + SEGURO começa em Copacabana porque é o bairro da cidade mais conhecido em todo o mundo e no fim do ano se torna ponto de encontro de cariocas e turistas nacionais e estrangeiros, que assistem à tradicional queima de fogos no Réveillon. Além disso, pelos índices levantados pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (SEOP) mostram que Copacabana e região têm grau alto de desordem urbana – um dos maiores da cidade.

Como o turismo é uma das vocações do Rio e também uma das principais atividades econômicas, Copacabana foi o bairro escolhido pela Prefeitura do Rio para sediar o programa-piloto do RIO + SEGURO, que futuramente será ampliado para outros bairros da cidade. A Prefeitura do Rio investirá, inicialmente, R$ 800 mil por mês para executar o programa-piloto nos bairros de Copacabana e no Leme.

Análise de dados norteia RIO + SEGURO

Durante a fase de planejamento do RIO+SEGURO, o governo municipal trabalhou em cima de uma análise de dados estatísticos, bem como informações obtidas pelos setores de Inteligência, que foram fundamentais à elaboração do mapa das manchas de desordem e dos pontos com maior incidência de pequenos delitos nos dois bairros. Esse mapeamento permitirá a adoção de iniciativas certeiras de ordenamento urbano, pela SEOP e a Guarda Municipal (GM-Rio), visando à redução da desordem e da prática de delitos. Além de possibilitar o planejamento de ações conjuntas, como o acolhimento de população em situação de rua e a organização do comércio ambulante legal. Em consequência desse trabalho em conjunto do RIO + SEGURO, teremos o aumento da sensação de segurança e da qualidade de vida da população.

O RIO + SEGURO é um programa pioneiro no país, pois associa planejamento, inteligência e tecnologia na prevenção à desordem urbana (população de rua e ambulantes irregulares representam 82% das reclamações de moradores, segundo levantamento realizado nas redes sociais) e aos pequenos delitos, proporcionando mais segurança aos cariocas e a redução dos índices de criminalidade. Também está contemplado no planejamento do RIO + SEGURO um acompanhamento dos indicadores de criminalidade no bairro e nas áreas limítrofes, a fim de traçar uma linha do tempo para ações a curto, médio e longo prazos.

Guarda Municipal combate insegurança

A iniciativa RIO + SEGURO prevê uma maior participação da Guarda Municipal no combate à insegurança na região, com aumento de 280 homens ao efetivo já em atividade nos dois bairros. Esses guardas vão atuar 24h com suporte de dois micro-ônibus, dez carros e 33 motocicletas. Além do efetivo da GM-Rio, teremos reforço de 140 policiais militares, que vão atuar no apoio às ações de enfrentamento à criminalidade. As equipes de campo irão receber informações e imagens captadas por 54 câmeras espalhadas em pontos estratégicos e monitoradas em tempo real pelas equipes do Núcleo de Videopatrulhamento da GM-Rio, que funciona no Centro de Operações Rio (COR). Os profissionais recebem treinamento constante para realizar análise e identificar padrões de comportamento. Essa capacitação permite a identificação de pessoas suspeitas na iminência de executarem crimes, possibilitando assim ações preventivas.

Mapa Operacional permite monitorar agentes

O emprego da tecnologia não se limitará às câmeras do COR. Todos os guardas municipais alocados no programa trabalham com smartphones com GPS, assim, criamos um Mapa Operacional – onde será possível visualizar de forma muito intuitiva a localização exata de cada um dos GMs envolvidos na operação, graças a um sistema de comunicação integrada. Além de permitir a geolocalização dos guardas municipais, agilizando o deslocamento das equipes para atender as demandas, os smartphones permitem que os guardas recebam informações sobre suas missões e imagens de suspeitos em tempo real.

O RIO+SEGURO prevê a integração das atividades da GM-Rio com as forças de segurança do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Seja em ações autônomas dos guardas municipais ou conjuntas com policiais militares do 19º BPM (Copacabana) e do Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTUR). A parceria possibilitará também o envio de imagens de flagrantes de crimes captadas pelo Núcleo de Videopatrulhamento às delegacias locais – 12ª DP e 13ª DP (Copacabana) – e da Delegacia Especial de Apoio ao Turista (DEAT). Os vídeos repassados em tempo real aos delegados responsáveis pelos inquéritos servirão como evidência para corroborar pedidos de prisões de suspeitos à Justiça.

Compartilhe:
FacebookTwitter

Contato