RIO + SEGURO

Dúvidas

Perguntas frequentes

Moradores de rua serão levados para onde pelo RIO + SEGURO?

Os moradores de rua abordados pelo RIO + SEGURO serão encaminhados para os abrigos da Prefeitura do Rio. A abordagem à população em situação de rua é feita por equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) com apoio da Guarda Municipal (GM). Vale lembrar que qualquer cidadão pode acionar o 1746 para fazer qualquer solicitação a respeito da população de rua.

A Prefeitura do Rio, por intermédio da SMASDH, já reabriu as Casas Vivas da Penha e Del Castilho, para jovens dependentes químicos; e o Abrigo Malala, para meninas, em Botafogo. Ainda em novembro serão entregues o Hotel Popular do Centro, na Central do Brasil; o abrigo Plínio Marcos, em São Cristóvão, e o Abrigo de Bonsucesso. Os abrigados recebem auxílio para resolverem problemas de documentação, reencontrar a família e procurar trabalho, entre outros serviços. A SMASDH capacita os profissionais que atuam nas abordagens sociais com moradores em situação de rua. A equipe responsável pelo acolhimento recebe a orientação de técnicos da prefeitura para melhorar e tornar mais eficiente sua abordagem.

Abordagem 360º para desordem urbana

O RIO+SEGURO é um programa pioneiro da Prefeitura do Rio de Janeiro, que associa planejamento, inteligência e tecnologia na prevenção à desordem urbana e aos pequenos delitos. A iniciativa começa pelos bairros de Copacabana e Leme, cartões postais da Cidade Maravilhosa. Além da SMASDH, envolve também a Cet-Rio, Rio Luz, Secretaria Municipal de Conservação e Meio Ambiente (Seconserma), Riotur, Comlurb, Coordenadoria de Gestão do Espaço Urbano (CGEU) e a Superintendência da Zona Sul.

O programa prevê um aumento de 280 homens no efetivo diário de agentes de segurança nos bairros. Os guardas municipais irão atuar 24 horas com o apoio de dois micro-ônibus como bases operacionais, dez carros e 33 motocicletas. A polícia militar também reforça esta operação com 140 policiais.

O RIO+SEGURO prevê a integração das atividades da GM com as forças de segurança do Estado. Seja em ações autônomas dos guardas municipais ou conjuntas com policiais militares do 19º BPM (Copacabana) e do Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTUR). Toda equipe de campo receberá informações e imagens captadas por 54 câmeras espalhadas em pontos estratégicos e monitoradas em tempo real pelas equipes do Núcleo de Videopatrulhamento da GM.

Videopatrulhamento contra a desordem urbana

A tecnologia irá permitir também a localização exata de cada um dos guardas municipais envolvidos na operação. Além de agilizar o deslocamento das equipes, os smartphones recebem informações sobre as missões e imagens de suspeitos. As equipes de Videopatrulhamento da GM têm treinamento para realizar análise e identificar padrões de comportamento. A capacitação permite a identificação de pessoas suspeitas na iminência de executarem crimes, possibilitando ações preventivas.

O mapa de desordem e de pontos com maior incidência de pequenos delitos cobre toda orla e suas ruas. Este mapeamento é resultado da análise de dados estatísticos de setores de Inteligência. Este mapeamento permite a adoção de iniciativas de ordenamento urbano, pela Secretaria de Ordem Pública (SEOP) e GM, para redução da desordem e da prática de pequenos delitos. O RIO+SEGURO chega para tranquilizar o carioca e lhe trazer mais qualidade de vida.

Como peço RIO + SEGURO no meu bairro?

Por que o RIO + SEGURO começou só agora?

Compartilhe:
FacebookTwitter

Contato